reunio onyx lorenzoni 30 3 21

Em reunião virtual com o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Onyx Lorenzoni, o presidente da CMB, Mirocles Véras, pediu apoio do governo federal para que sejam destinados, com urgência, recursos complementares para as Santas Casas e hospitais filantrópicos do país, que possam auxiliar no trabalho prestado e que ficou em condição agravada com a pandemia da Covid-19. A CMB foi convidada a participar da reunião pela Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes, Religiosos e Filantrópicos do Estado do Rio Grande do Sul, representada pelo presidente Luciney Bohrer e pelo diretor André Emílio Lagemann. Lorenzoni esteve presente na Santa Casa de Porto Alegre, de onde realizou a conversa, acompanhado do provedor Alfredo Englert e do diretor geral Júlio Flávio Dornelles de Matos.

Ao ministro, Mirocles e Júlio apresentaram a importância do setor filantrópico, que reúne 1.824 hospitais sem fins lucrativos, responsáveis por 50% dos atendimentos públicos e 70% da assistência em alta complexidade pelo SUS (Sistema Único de Saúde), além de gerar mais de 1 milhão de empregos, o que permite estimar que mais de 4 milhões de pessoas se sustentam por meio deles. Com a pandemia, a delicada situação financeira das instituições se agravou e o cenário preocupante foi reforçado à Lorenzoni.

“Demonstramos ao ministro os impactos dos custos hospitalares no processo assistencial, seja pela elevação de preços dos insumos e dos EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), para as adequações que necessitam ser feitas nas estruturas para atender ao paciente Covid, na necessidade de investimento em tecnologia e até na elevação dos custos com o descarte dos resíduos hospitalares, que triplicaram”, disse o presidente da CMB.

As questões envolvendo a área de recursos humanos dos hospitais também foi colocada. “Falta mão de obra especializada, há aumento dos custos com a incidência de hora extra, de contratação temporária e alto grau de afastamento dos profissionais de saúde acometidos pela Covid. Tudo isso tem tornando insustentável a relação entre a receita e as despesas das instituições”, falou Mirócles.  “Diante de todo o exposto, solicitamos o apoio do ministro Onyx Lorenzoni, em condição urgente, para trabalhar nosso pleito junto ao presidente Jair Bolsonaro, ao ministro da Economia, Paulo Guedes e ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e que possam ser destinados recursos para a manutenção das atividades dos hospitais, tanto em relação à Covid, quanto aos atendimentos à demanda reprimida de demais comorbidades”, completou.

Lorenzoni se comprometeu a intermediar o pedido junto ao presidente da República e demais ministros, e reforçar junto a eles a importância de promover subsídios que permitam aos hospitais filantrópicos continuarem a cumprir suas atividades, principalmente como instrumentos de defesa do SUS.

Faça login em sua conta