CMB 44 Anos

Conquistas alocam R$ 1,4 bilhão em custeio e investimentos

44anos_foto1.jpgAo longo dos seus 44 anos de existência e história, a Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas (CMB) registra varias conquistas para o setor da saúde. Nos últimos sete anos, colocou cerca de R$ 1,4 bilhão a mais nos orçamentos das santas casas e hospitais sem fins lucrativos, seus filiados.

44anos_foto2.jpgDesde o início do séc. XXI, a CMB vem demonstrando mais força e competência nas articulações políticas visando o aumento da qualidade dos serviços prestados pelos seus filiados. Em 2001, ainda sob a presidência do Pe. José Linhares, obteve do Ministério da Saúde, a criação do Integrasus, injetando no segmento nada menos que R$ 160 milhões/ano. Trata-se de incentivo à parceria desses hospitais com o SUS, financiado com recursos federais, por intermédio do Fundo de Ações Estratégicas e Compensação.

Mais que recursos, a CMB sempre manteve a preocupação com o aspecto social. Ainda em 2001, firmou um acordo com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) que financiou a instalação de centros cirúrgicos, casas de apoio materno, leitos de UTI, entre outros benefícios, de suporte materno-infantil em várias cidades brasileiras.

44anos_foto3.jpgDando um salto histórico para 2005, já sob a presidência do baiano Antônio Brito, os custeios e os investimentos aumentaram com a implantação do Programa de Reestruturação e Contratualização dos Hospitais Filantrópicos no Sistema Único de Saúde - SUS, onde gestores do SUS e representante legal do hospital, estabelecem metas quantitativas e qualitativas, visando o aprimoramento da atenção à saúde por meio de um convênio. Para os 757 hospitais filiados que fizeram a adesão implicou um incentivo anual de R$ 202 milhões.

Outra conquista, reflexo do empenho de todos, é o reajuste na tabela de procedimentos do SUS. Quase 10 anos depois do último aumento e com índices altíssimos de defasagem, espera-se que seja o início de um processo de reversão do quadro crítico instalado na maioria dos hospitais. Na mesma época garantiu o parcelamento dos débitos tributários, previdenciários e com o FGTS para muitas das instituições filantrópicas que representa. Na primeira o vice-presidente da CMB, deputado Darcísio Perondi teve papel preponderante, enquanto que na segunda, o deputado Pe. José Linhares foi o destaque.

44anos_foto4.jpgMas a CMB continua planejando e implantando melhorias para o segmento. No primeiro mês de 2008, será lançado oficialmente o Programa Nacional de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantrópicos em parceria com o Fórum Nacional dos Programas de Qualidade, Produtividade e Competitividade (QPC). Inicialmente, o projeto beneficiará 248 hospitais em todo o país com consultoria e capacitação de recursos humanos, visando o combate ao desperdício e otimização do tempo, através do financiamento do Grupo Gerdau e Petrobrás.

O próximo ano promete ser ainda mais benéfico para o setor. Para tanto, a CMB continuará caminhando, junto das Federações e filiados, em prol de uma melhor qualidade no atendimento e prestação de serviços da saúde para a população.