Rogerio MedeirosO desenvolvimento tecnológico aplicado à gestão de saúde, especialmente na assistência, tem contribuído para otimizar processos e reduzir custos. No gerenciamento de leitos, por exemplo, existem soluções simplificadas, que podem representar ganhos, principalmente para os hospitais de pequeno porte. De acordo com o diretor da MR Consultoria, Rogério Medeiros, um dos principais problemas está na logística em liberar o leito para a próxima internação. “Neste sentido, podemos combinar a gestão de processos e a tecnologia para organizar as várias ações e profissionais envolvidos”, disse. Medeiros será um dos palestrantes da mesa “O papel da tecnologia na gestão da saúde”, durante o 28º Congresso Nacional das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos, no dia 15 de agosto, às 14h.

Especialista em Tecnologia da Informação e Comunicação e sistemas Health 2.0, Rogério Medeiro informou que 18,5% dos atrasos na liberação do leito são resultado de serviços médicos e serviços adicionais; 10% são de responsabilidade da enfermagem; 13,5% relacionados à prescrição dos médicos na alta; e 8% outros motivos. Metade dos problemas (50%), no entanto, é referente à falta de transporte para levar o paciente; de cuidador; e de conhecimento das etapas da programação internação. “A tecnologia, nesse sentido, pode contribuir. É preciso saber usar o conjunto dos sistemas disponíveis no mercado. Atualmente, a tecnologia vai desde mensagens, por meio de SMS, via um central de CTI/URA, até sistemas complexos, que envolvem informações de BigData, por exemplo”.

Medeiros afirmou que o uso da tecnologia no gerenciamento de leitos produz resultados como a redução de custos. “Evitar perdas com internações desnecessárias já reduz os custos e, por fim, permite usar os leitos para novas internações e, consequentemente, gerar novas receitas”, explicou. O investimento para essa área, por sua vez, depende do tamanho do hospital, que pode se beneficiar, por exemplo, de soluções simples em mobile, que podem ser utilizadas com facilidade e que permitem um treinamento da equipe com baixo custo. “Estou desenvolvendo uma solução baseado em mobile, cujo objetivo é colocar os principais agentes envolvidos na gestão de leitos participando do processo de forma simples. Temos que utilizar a tecnologia que as pessoas estão acostumadas com mecanismos simples, de fácil aderência e baixo custo. Nesta linha, a solução envolve reorganização de processos na linha do Lean Healthcare e app de comunicação entre os agentes”, explicou.

Com esta lógica de trabalho, de acordo com o especialista, por meio de mensagens simples por celular e tablet, é possível otimizar a internação, sem precisar necessariamente integrar com o sistema do hospital. “O gerenciamento sai da área administrativa e passa para os profissionais envolvidos no leito, principalmente, a enfermagem, que faz o gerenciamento entre a alta do paciente e a liberação para um novo paciente”, disse.

Termina nesta quarta-feira (08) o prazo para fazer a inscrição online para o 28º Congresso Nacional das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos. Novas adesões ainda podem ser feitas na secretaria do evento, a partir do dia 15 de agosto. A taxa da inscrição pode ser paga com dinheiro, cheque, e cartão de crédito ou débito!